10 Ótimos RPGs de mesa de 2022 (e que não são Dungeons & Dragons 5E)

Atualizado: 8 de mar.

Artigo originalmente publicado no Dicebreaker, por Alex Meehan (@trashcrone), Contribuições Adicionais por Matt Jarvis (@liquidmatt). Publicado no dia 21 de Fevereiro de 2022. Traduzido por Diogo A. Gomes (@diogoarakis) e revisado por Paulo "Faren" Lima (@PHRCC).

RPGs de mesa são incríveis. Os melhores RPGs conseguem transportar você e seus colegas jogadores para mundos inteiramente novos, povoados por personagens fascinantes e cheios de lugares para se descobrir. RPGs de mesa são realmente diferentes de qualquer outra experiência interativa por aí. Embora Dungeons & Dragons 5E seja certamente popular, não é o único jogo de RPG existente. Para jogadores que querem uma experiência diferente da oferecida pelo D&D 5E, existem dezenas e dezenas de RPGs que fornecem aos seus jogadores algo completamente único, inclusive temos um artigo chamado PDFs Gratuitos de RPG de Mesa em Português para Download, conheça-o!


Se você está procurando por um jogo acessível para receber seus amigos no hobby, ou por algo mais pesado que requer alguma consideração cuidadosa, nossa lista dos melhores RPGs de mesa apresenta uma grande variedade, tanto de jogos desafiadores quanto de jogo mais fáceis. Quando se trata de ambientação, pensamos em tudo, desde fantasia a ficção científica, horror a gêneros que não podem ser definidos, então deve haver algo, independentemente do interesse do seu grupo. Nossa lista também apresenta uma coleção diversificada de sistemas de jogo, alguns dos quais você pode já conhecer, enquanto outros estão um pouco fora dos holofotes.


De distopias cyberpunk e fantasias steampunk ao sexy horror moderno, todos os gostos de interpretação são atendidos com a nossa lista dos melhores RPGs de mesa que você pode jogar agora.

 

1. Blades in the Dark


Realize assaltos elaborados usando um sistema pouco usual de flashback com este RPG steampunk


Duskvol é um lugar sombrio cheio de fantasmas e perigo em cada esquina.
 

A cidade de Duskvol é um lugar perigoso. Suas ruas estão cheias de gangues, guardas e até fantasmas. E também é o cenário para o jogo de RPG de fantasia Blades in the Dark. Criado por John Harper, Blades in the Dark é um RPG sobre como sair dos piores buracos da sociedade usando inteligência, conexões e instinto. Jogadores em Blades in the Dark são membros de uma equipe que sonham em ter uma vida estável através do caminho instável do roubo. Duskvol é uma cidade de extrema riqueza e pobreza, onde as ricas famílias nobres vivem em luxo sobre os esgotos e casebres dos pobres. É por isso que não há nada de errado em você e seus colegas tomarem para si um pouco desse luxo.


Cada sessão de Blades in the Dark é moldada em torno de um serviço, que pode ser tão simples quanto roubar um item valioso de um morador rico ou tão complicado quanto fazer um assalto a um banco. Só que, ao contrário de muitas outras histórias de roubos, não é você que fará o plano prévio. Em vez disso, os jogadores conseguem fazer uma pausa no meio da ação para descrever uma sequência de flashbacks que, de alguma forma, explicará como seu personagem foi preparado para um repentino obstáculo ou contratempo. Este sistema de jogabilidade permite que o ritmo de cada sessão flua suavemente, em vez de ter uma sessão muito longa no início, onde os jogadores elaboram um plano. Ele também adiciona à experiência um elemento de improviso e caos, ecoando os próprios sentimentos dos personagens de potencialmente serem incapazes.


Se os jogadores conseguirem completar seus trabalhos sem serem presos pelas autoridades ou eliminados por uma gangue rival, eles aceitarão trabalhos cada vez mais ambiciosos. Felizmente, suas experiências também permitirão que eles adquiram novas habilidades e alguns equipamentos impressionantes de seus contatos. Nós nem sequer tocamos no elemento sobrenatural de Blades in the Dark! (Alguns jogadores são capazes de se comunicar com os mortos.) É seguro dizer que existem muitas razões para jogar este RPG de mesa em particular.


Adquira Blades in the Dark na Buró Brasil.

 

2. Chamado de Cthulhu


Um clássico do horror que perdura por décadas


O Chamado de Cthulhu básico é ambientado durante o início do século XX.
 

O que Dungeons & Dragons é para os RPGs de fantasia, O Chamado de Cthulhu é para os RPGs de terror. Lançado menos de uma década após a D&D, O Chamado de Cthulhu trocava guerreiros robustos e feiticeiros poderosos por humanos corajosos — mas frágeis. Em vez de paladinos, clérigos e ladinos em busca de ouro e glória em mundos de fantasia, os jogadores assumem o papel de investigadores, estudiosos e jornalistas mergulhando no conhecimento proibido na esperança de salvar o mundo de qualquer tipo de horror cósmico.


O que tornava O Chamado de Cthulhu único era o fato que fugir de lutas era muitas vezes uma escolha melhor do que tentar se defender contra monstros de outro mundo, sendo um RPG notório por despachar personagens através de combates mortais ou por desgastar seu bem-estar psicológico à medida que desvendavam cultos e conspirações. Em vez do dado de 20 lados, que D&D deixou famoso, O Chamado de Cthulhu usava o d100 — dois dados de dez lados, para um resultado percentual — do Basic Roleplaying System, que anteriormente alimentava o RuneQuest, RPG de fantasia dos anos 70.


Ao longo das décadas, O Chamado de Cthulhu evoluiu através de várias edições — além de inspirar jogos de tabuleiro de terror, como a série Arkham Horror — e continua sendo um dos melhores RPGs em 2022 para aqueles que buscam uma história assustadora e tenha uma aura bastante diferente da alta fantasia de D&D. (E, em alguns lugares, é ainda maior do que Dungeons & Dragons.) Quer você esteja descobrindo acontecimentos misteriosos em uma mansão, viajando ao redor da terra para interromper um ritual de fim de mundo ou até mesmo se deparando com o formidável Cthulhu em pessoa, O Chamado de Cthulhu não perdeu nada de sua atmosfera aterrorizante.


Adquira O Chamado de Cthulhu na Amazon. Parte do valor de venda ajudará o Toca do Coruja nos custos do site.

 

3. Cyberpunk Red


O clássico RPG de ficção científica recebeu uma atualização moderna


Night City está repleta de deleite e distopia em proporções iguais.
 

Começando em 1988, Cyberpunk é uma série que se tornou sinônimo de esquemas corporativos obscuros, tecnologia transumana e jaquetas com as maiores golas que você já viu. Desde o seu lançamento, Cyberpunk recebeu várias edições, cada uma indo cada vez mais para o futuro, garantindo que sua tecnologia especulativa, continue a permanecer, bem especulativa. Sua edição mais recente é Cyberpunk Red, uma versão simplificada do jogo de RPG de ficção científica que ocorre durante a década de 2040, nos anos anteriores à adaptação popular de videogames, Cyberpunk 2077, convidando os jogadores a entrar no mundo decadente e emocionante de Night City.


Não deixe a estética retro-futurista do Cyberpunk Red enganá-lo, pois é um RPG que mergulha em todos os tipos de assuntos pesados, desde as consequências do capitalismo descontrolado ao ambientalismo, até o que significa ser humano. Jogadores podem escolher entre uma variedade de classes diferentes para suas personagens, com cada uma tendo sua própria maneira bizarra de interagir com Night City. Se você sempre se imaginou um músico, você pode criar um roqueiro preparado para liderar uma revolução, ou se você é um fã do filme Hackers, de 1995, você pode viver o sonho de invadir redes de alta segurança com a classe netrunner. É essencial, para a sobrevivência do seu grupo em Cyberpunk Red, percorrer pelas várias gangues, corporações e grandes personagens de Night City, potencialmente se unindo a uma facção em particular ou resistindo ao se afastar das forças que buscam conquistar a metrópole.


Independente de quem você se alia ou não, você pode escolher como você vai enfrentar os vários trabalhos ou missões que seu grupo escolhe para assumir, colocando pontos em atributos e perícias. Enquanto algumas personagens terão mais facilidade em derrubar a porta na força bruta, outras certamente preferirão uma abordagem mais sutil. À medida que o seu grupo ganha experiência, ele poderá melhorar essas abordagens e também se ramificar. Não se esqueça também de todo o armamento e equipamentos maneiros que você poderá adquirir. Faça uma viagem à Night City e tente ficar vivo com Cyberpunk Red.


Adquira Cyberpunk Red no DriveThruRPG. Parte do valor de venda ajudará o Toca do Coruja nos custos do site.

 

4. Vampiro: A Máscara (5ª Edição)


Torne-se uma criatura da noite nas ruas de Los Angeles


A natureza pulp de Vampiro: A Máscara o torna único entre seus pares de RPG de terror.
 

Embora Vampiro: A Máscara seja tecnicamente uma série de RPG de terror, com mortos-vivos e o sobrenatural, é sempre desviado para um território mais pulp estilo Garotos Perdidos do que para algo realmente assustador. Indiscutivelmente, a parte mais assustadora de Vampiro são as reações dos personagens jogadores à perda de sua humanidade, com a oportunidade de explorar as consequências de ganhar a imortalidade e ter que cortar laços com a sociedade em geral. Vampiro começou sua vida como um jogo de RPG ousado e ‘adulto’, que fez avanços para se separar da alta fantasia que jogos como Dungeons & Dragons representavam, oferecendo aos jogadores uma experiência mais sinistra e madura. Desde então, após múltiplas controvérsias e más decisões criativas, Vampiro evoluiu para um título mais autoconsciente, cujos criadores recentes estão tentando direcioná-lo para um território mais inclusivo e menos conservador.


O mundo dos Vampiros está repleto de pessoas cuja fome de poder os conduz à corrupção, levando à criação dos personagens jogadores — sendo o resultado de um mortal colidindo com um membro dos mortos-vivos, antes de se tornar voluntária ou involuntariamente um vampiro. Embora haja muitas vantagens em ser um membro dos belos e mortos, eles também são forçados a evitar a sociedade humana, de modo a manter o “disfarce” de que os vampiros não existem. Jogadores podem encontrar companheirismo entre seus membros do clã, desde o Brujah fisicamente resistente ao glamoroso Toreador até o ambicioso Ventrue, mas os clãs em Vampiro são muitas vezes a fonte das tramas e esquemas em que as personagens dos jogadores podem se encontrar envolvidas se não tiverem cuidado.


Em última análise, como seu personagem se aproxima da imortalidade é uma decisão sua. Personagens em Vampiro podem se encontrar prosperando em sua nova vida, abraçando sua família encontrada e desfrutando de seus poderes, ou podem sofrer sob isolamento e sua necessidade quase constante de sangue. Sem esse precioso líquido vermelho, as personagens dos jogadores podem gradualmente perder o controle sobre si mesmas e se tornar incapazes de executar algumas de suas principais habilidades, sacrificando seu bem-estar por sua moralidade. Apesar dos aspectos incrivelmente estilizados e da linguagem “semi-sexy” do RPG — que são uma grande razão para seu apelo — os jogadores de Vampiro poderão explorar tópicos com muita profundidade e, possivelmente, até descobrir algo sobre si mesmos.


Adquira Vampiro: A Máscara (5ª Edição) na Amazon. Parte do valor de venda ajudará o Toca do Coruja nos custos do site.

 

5. Quest


Talvez o jogo de RPG de mesa mais acessível já feito


Quest é decididamente o RPG mais descontraído que a maioria dos jogadores possa estar acostumados.
 

Muitas vezes, as pessoas vão direto para D&D 5E para sua primeira experiência de RPG de mesa e embora D&D seja excelente em aspectos como personalização e desenvolvimento de personagens, não seja tão bom em receber jogadores novatos no hobby. As páginas e páginas de informações disponíveis sobre criação de personagens, conjuração, iniciativa e outras coisas, podem assustar pessoas que não estão tão familiarizadas ou interessadas no RPG. Este é o lugar onde RPGs como Quest realmente brilham, pois eles são inteiramente destinados a facilitar os iniciantes na experiência do hobby. Em vez de bombardear seus jogadores com detalhes, Quest se concentra em delinear os pontos chaves do RPG — explicando as ações de sua personagem e fazendo com que o Mestre responda a isso — e imergindo os jogadores em seu mundo.


Realizar uma ação no Quest é tão simples quanto declarar o que você quer fazer e rolar um único d20, com o Mestre repassando o que acontece como resultado de sua rolagem. Em vez de ter atributos, características e tal, as personagens dos jogadores têm apenas ações especiais, que podem ser executadas dependendo de sua classe. Essas ações incentivam os jogadores a serem descritivos, em se afogar em números. Criar personagens em Quest leva cerca de cinco minutos e envolve o preenchimento de uma folha de uma página que funciona semelhantemente ao jogo Madlibs. A preparação para one-shots e campanhas é mais sobre fornecer aos seus jogadores histórias divertidas para eles seguirem e personagens com quem interagirem. Tudo isso, além do design limpo e organizado do livro de regras, é perfeito para introduzir novos jogadores no RPG.


Pode ser uma luta levar as pessoas para os TRPGs, especialmente quando muitas vezes elas parecem exigir que os jogadores realizem uma quantidade substancial de leitura, aprendizagem e compreensão antes mesmo de poderem criar suas personagens. É por isso que jogos como Quest são uma dádiva de Deus pois ajudam jogadores e Mestres a pularem tudo isso e chegar às partes legais do RPG. Também é um ótimo RPG para ajudar a levar as crianças para os TRPGs pela primeira vez, o que significa que também podemos usar o Quest para passar o hobby para a próxima geração.


Adquira Quest na Adventure Game.

 

6. Lancer


Pilote um robô gigante e explore uma vasta galáxia



Enormes robôs e personagens coloridos povoam o mundo de Lancer.

 

Quem não quer controlar um robô massivo no espaço? O RPG Sci-fi Lancer baseia-se em animes de robôs clássicos, como Gundam e Evangelion para trazer à vida sua visão de um futuro distante muito mais otimista do que jogos sombrios e violentos, como Warhammer 40.000.


Os jogadores controlam os pilotos que trabalham em nome de várias facções, que entram em seus poderosos robôs para resolver qualquer problema que lhes seja exigido. O RPG mistura uma narrativa profunda com uma vantagem tática em seu combate baseado em robôs, com a possibilidade dos jogadores customizarem massivamente sua máquina e se lançarem em mapas hexagonais para batalhas.


O cenário futurista de Lancer mistura combate intrincado com elementos mais fantásticos, enquanto os jogadores progridem na história e no desenvolvimento de suas personagens dentro e fora do robô. Embora o universo do jogo não seja bem uma utopia — afinal, alguém ainda precisa empregar os pilotos dos jogadores para resolver problemas — é um olhar muito mais esperançoso e brilhante para a ficção científica do que a tendência recente para o horror sombrio e distópico.


Lancer encontra um ponto tematicamente doce entre o escopo cinematográfico chamativo dos desenhos animados da TV Globinho e um comentário sério sobre a sociedade humana, envolto em uma visão complexa e visionária de um gênero sempre popular: grandes robôs lutando. Uma dos cenários de RPG mais originais dos últimos anos, acompanhado de jogabilidade gratificante, já parece pronta para se tornar um clássico moderno.


Adquira Lancer no Itch.io.

 

7. Lasers & Feelings


RPG Sci-fi do criador de Blades in the Dark que é leve em regras, mas cheio de potencial


Jogadores podem tentar equilibrar emoção e razão em Lasers & Feelings, ou apenas investir totalmente em qualquer um deles.
 

Mesmo alguns dos melhores RPGs por aí às vezes podem ser… bem, às vezes exagerados. Realizar malabarismos com dezenas de estatísticas, habilidades, itens e características, além de traçar o desenvolvimento narrativo e os relacionamentos de seu personagem, pode ser cansativo para alguns jogadores. Às vezes, você só quer algo simples para deixar você curtir o caminho.


Lasers & Feelings é a definição de simplicidade, reduzindo a jogabilidade a apenas duas estatísticas. E você já as leu: lasers e sentimentos. Cada teste no jogo se resume a um ou outro, com lasers representando uma abordagem mais científica e fundamentada das coisas e sentimentos sendo uma reação mais acelerada do coração. Cada personagem tem um único número para representar lasers e sentimentos, com os jogadores precisando rolar um único dado de seis lados sob lasers para ter sucesso ou mais para ter sucesso em um desafio de sentimentos.


O formato direto vem como cortesia do criador de Blades in the Dark, John Harper, cujo lançamento original de Lasers & Feelings colocou os jogadores nas camisas vermelhas da tripulação da nave espacial Raptor, pois eles encontraram várias ameaças na galáxia (fornecidas facilmente por uma mesa de rolagem aleatória, se você não conseguir pensar na sua), de piratas espaciais a zumbis cibernéticos.


O conjunto de regras habilmente compacto de Lasers & Feelings também se tornou a base de muitos RPGs independentes desde então, incluindo o Boy Problems — baseado na música da estrela pop Carly Rae Jepsen — e o RPG Sword & Board, inspirado em Dark Souls. Se você pegar o original ou um de seus descendentes, Lasers & Feelings é o RPG perfeito quando você está procurando algo divertido e não complicado para jogar.


Baixe Lasers & Feelings em Itch.io.

 

8. Monsterhearts 2


Seres sobrenaturais experimentam intensas angústias neste RPG de mesa


Em Monsterhearts 2, jogadores criam e controlam jovens com identidades estranhas e peculiaridades.
 

Ser adolescente é super difícil. Ter que lidar com toda a mudança, as pressões sociais e entender quem é você é muito algo complicado. Monsterhearts 2 é um RPG que leva todos os desafios da adolescência e os torna exponencialmente mais problemáticos, adicionando também elementos sobrenaturais. Um jogo sobre as provações, tribulações e alegrias de crescer, Monsterhearts 2 vê os jogadores se tornando alguns seres sobrenaturais clássicos — como vampiros e lobisomens —, bem como algumas criaturas mais incomuns, como brinquedos vivos chamados de "ocos", tentando navegar pelo mundo da juventude. Embora os elementos sobrenaturais do jogo certamente permitem que ele se destaque, é um RPG que é mais sobre encontrar e desenvolver relacionamentos do que qualquer outra coisa.


Personagens do jogador em Monsterhearts 2 vão se encontrar lutando contra suas piores auto-tendências, de modo a desempenharem seu melhor. Cada espécie sobrenatural em Monsterhearts 2 tem seu próprio vício único que personagens de jogadores terão que lutar contra, caso desejam construir relacionamentos saudáveis com outras pessoas. Essas relações podem ser de natureza romântica e/ou sexual — com relações gays sendo ativamente apoiadas pelo texto — mas também podem ser amores platônicas, com o ir-e-vir de dar e receber poder sendo apoiado pela mecânica do jogo. Os jogadores conseguirão realizar diferentes interações com outras personagens, dependendo de sua identidade sobrenatural, com os resultados sendo afetados pelas características de seus personagens. Além de alterar suas relações com outras pessoas, certas ações podem mudar a relação de um personagem consigo mesma — fazendo com que entenda melhor quem é ou gradualmente fique mais confusa.


Monsterhearts 2 é um RPG de mesa fantástico, pois pega alguns dos aspectos clássicos do drama adolescente melodramático — angústia, paixão e auto-descoberta — e os transforma em uma exploração significativa do eu e da nossa necessidade de conexão. Caso queira um RPG repleto de drama de relacionamento interpessoal e estilo gótico, jogue Monsterhearts 2.


Compre Monsterhearts 2 no Drive ThruRPG. Parte do valor de venda ajudará o Toca do Coruja nos custos do site.

 

9. Fiasco


Emule os filmes de neo-noir dos irmãos Coen em uma história que dará errado


Fiasco é um RPG sem sentido para fãs de cinema.
 

Fazer um plano perfeito sem problemas é satisfatório, mas às vezes os momentos mais memoráveis acontecem quando tudo dá errado. Colocando os jogadores em ambientações fracassadas de criminosos tapados, Fiasco é um excelente RPG de mesa em que nada acontece da forma que deseja.


Fiasco se apoia em sua veia cinematográfica com filme de crimes, como Fargo e Queime Depois de Ler — com quase todos os filmes dos irmãos Coen —, quebrando a jogabilidade em várias cenas. Os jogadores criam personagens que têm relacionamentos uns com os outros, mas que estão principalmente fora de sua zona de conforto — com consequências trágicas e cômicas (às vezes simultaneamente).


Não há mestre no jogo, com os jogadores se revezando para descrever o que acontece durante cada cena. São usados um punhado de dados de seis lados em duas cores — representando aspectos positivos e negativos da história —, onde jogadores escolhem durante as cenas para influenciar o fluxo do enredo.


A estrutura de Fiasco, como um filme simples, permite que ele se traduza em vários gêneros e cenários diferentes, desde filmes clássicos de crime de neo-noir a westerns, ficção científica e fantasia. No final de cada um dos dois atos do jogo, haverá um "tilt" — onde as coisas de repente dão errado — e, finalmente, as consequências, onde os jogadores descrevem o que aconteceu com suas personagens. Normalmente não é uma boa notícia para as personagens, mas é muito divertido para os jogadores.


Seu formato cinematográfico único, potencial para histórias tragicômicas em qualquer número de cenários, com regras leves e sem a necessidade de Mestre fazem de Fiasco um dos melhores RPGs para novos jogadores que procuram algo original quando se trata de RPG. O livro de regras original do RPG foi substituído por um conjunto de caixas ainda mais amigável para iniciantes que troca dados por cartas, permitindo que os recém-chegados entrem de cabeça e deixem o caos se desenrolar


Compre o Fiasco na Retropunk.

 

10. Coyote & Crow


Um RPG indígena que imagina um mundo pós-colonial


Coyote & Crow tem um estilo de arte excepcionalmente único que você não vai encontrar em nenhum outro lugar.
 

À primeira vista, Coyote & Crow trilha terrenos familiares. O cenário do RPG apresenta uma visão futurista da Terra, que caminhou para uma crise climática global, para os jogadores explorarem. No entanto, tanto dentro como fora da mesa, Coyote & Crow representa algo novo. Criado por uma equipe liderada por indígenas, encabeçada pelo designer Cherokee Connor Alexander, o RPG imagina um mundo onde a colonização nunca ocorreu, libertando-se das influências e filosofias eurocêntricas estabelecidas pelo Dungeons & Dragons e afins.


O cenário de Coyote & Crow, de Makasing, é uma América do Norte alternativa que nunca foi colonizada por colonos europeus. Centenas de anos depois que uma colisão de meteoros que quase aniquilou a humanidade e mergulhou o mundo em invernos inóspitos durante um período conhecido como Awis, os jogadores controlam os habitantes das cinco nações de inspiração indígena do mundo, enquanto usam tecnologia avançada e uma força conhecida como Adanadi para prosperar na paisagem pós-apocalíptica.


A jogabilidade desse RPG usa dados de 12 lados em um sistema semelhante aos sistemas de Shadowrun ou Mundo das Trevas, Vampiro: A Máscara, com foco em resolver encontros criativamente sem recorrer imediatamente à violência. Embora as regras tenham muita profundidade, Coyote & Crow também dá importância ao tecer narrativas significativas e ao desenvolvimento de personagens, inspirando-se na narrativa dos nativos americanos. (O livro de regras fornece conselhos a jogadores não indígenas sobre retratar respeitosamente personagens e histórias sem se desviar para a apropriação cultural.)


Entre seu cenário e a jogabilidade cativantes, Coyote & Crow é um mundo literalmente longe de alguns dos aspectos do RPG “clássico”, que ficam melhores deixados no passado. Um dos melhores RPGs a surgir nos últimos anos, ele pinta um futuro brilhante para contar histórias de mesa.


Compre Coyote & Crow no site do jogo.

 

Acompanhe nossas redes sociais para ficar por dentro das informações mais recentes!


SOMOS UM GRUPO VOLUNTÁRIO DE TRADUÇÕES DE RPG

Também acompanhe as novas publicações no:


Para interação entre a comunidade, pesquisas e sorteios, temos:

Grupo do Whats: https://chat.whatsapp.com/Lw2q1nIeava2fzjoTVvjPd

Servidor Discord: https://discord.gg/eyhe7ge2TJ

Links Atualizados: https://lkt.bio/TocaDoCorujaRPG




353 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo